domingo, 6 de março de 2011

IURD compra Rede Transamerica de Radio e Radio Record News surgirá em breve

 


      Conforme divulgado pelo amigo Ernesto Pina na comunidade Dial Am Fm Rio de Janeiro, a Radio Transameŕica foi vendida para a IURD que irá colocar em seu lugar uma versão radiofônica do canal de noticias Record News. Esta radio será concorrente direta da CBN e da Band News Fm, isso explica também a saida de Heródoto Barbeiro da CBN, pois sua saída foi tão repentina quanto a compra da Transamérica pela IURD, embora a negociação ja estivesse acontecendo a meses com proprieŕario, Aloysio Faria aparentemten irredutível a venda.
     Quanto a própria Transamérica, sua compra e seu possivel fim será menos uma opção jovem nas rádios do Brasil e sobretudo no Rio, onde as radios que não acabaram viraram rádios de gosto duvidoso e empurram isso aos jovens contemporâneos. Por outro lado, é o fim de uma bem sucedida rede de rádios que começou entre 1976 e 1978, chegando ao Rio em 1977. Quando a Transamerica começou, era uma radio sem locução e que tocava músicas  adulto-contemporâneas, só mudando em 1985 quando assumiu o formato de programação jovem que tem ainda hoje, porém ela foi inovadora e lançou talentos no Radio e na Tv. Como a Cidade e Mundial na década de 70, ela foi referência para juventude na década seguinte juntamente com a própria Cidade, Antena 1 e Fluminense  e tambeḿ foi uma das primeiras FM's a transmitir futebol juntamente coma saudosa Tropical FM 104,5 (arrendada pelo mesmo grupo que comprou a Transamerica). Neste período a rádio gerava programação 100% local, no entanto nas décadas seguintes, sobretudo na década de 90, a radio se acomoda neste formato de programação, passa a ter programação em rede em detrimento da local e por fim, se perde em seus objetivos chegando a promover músicas brega-popularescas como Axé e Favela Bass (funk carioca). No mesmo período em que esta radio se perdia, radios como Cidade e Fluminense quando não se extinguem se perdem na programação vindo a acabarem  de vez na década de 2000. Vale lembrar que as rádios jovens passam por uma crise de identidade desde a década de 90, quando por questões culturais, mercadológicas e até politicas se perderam em seus objetivos, agora muitas estão se extinguindo. Nem a Jovem Pan 2 poderá se salvar desta, pois como muitos sabem, os Machado de Carvalho querem colocar a Jovem Pan 1 620 Am SP em Fm como já fizeram no litoral paulista e só estão esperando o momento certo para isso.
     Hoje no mercado das rádios jovens do Rio de Janeiro só temos três radio: Mix, OI e Tribuna, sendo que destas três a que tem programação mais próxima do jovem e se assemelhando aquelas rádios antológicas da década de 80 em termos de formato é a Tribuna que tem dado um show de audiência e qualidade neste sentido. Quanto as outras duas, uma tem uma programação jovem duvidosa composta por hit paredes internacionais de gosto duvidoso e a outra é um tremendo desperdicio recursos financeiros, técnicos e humanos, pois usa um formato inadequado para radios (com pouquíssima locução e tudo centrado na Radio Bel de BH), não usa os recursos técnicos e humanos provenientes do locador ( a Radio Cidade, que mesmo estando somente na Web tem plenas condições retornar ao dial, pois sua programação não difere de uma FM, ou seja, não é vitrolão) e amarga as últimas posições de audiência segundo o Ibope.
 
     Base da Transamérica a esquerda, Alvorada (Sulamérica Paradiso) em frente e Tupi, a redonda a direita.
      Se no lado da programação ela também deixava a desejar na parte técnica não era diferente. Nos últimos anos várias vezes a rádio saiu do ar, apresentou problemas técnicos diversos entre outros. Um exemplo disso era no Sumaré onde a radio não colocava operadores para tomar conta e operar seus equipamentos, o que causava sérias preocupações em funcionários de emissoras vizinhas á base da mesma como a Tupi 96,5, Nativa (Antena 1) e Sulamérica Paradiso (Alvorada),  que reclamavam, e com razão, da ausencia de operadores e de manutenção dos equipamentos da mesma, que raramente sofria manutenção, que em casos de temporal nos últimos fazia com que a rádio não voltasse ao ar, chegando a voltar quase que no dia seguinte a sua saida do ar. E pior, tinham medo de que ocorre incendio nas suas instalações e que óbviamente atingiria as instalações vizinhas como a da Tupi, por exemplo. Muita gente dizia que a base da Transamerica no Sumaré vivia no mais completo abandono. Vale lembrar que a torre da Transamérica é a mais alta das FM do Sumaré e a mais antiga tendo pertencido a Record, quando a mesma se chamava TV Rio ( a Record de 1955 a 1977) e hoje o mesmo grupo dono desta última acabou de compra-la.
        E também o fim dos últimos resquícios de uma era de ouro para o FM brasileiro, sobretudo o fluminense, que foi a década de 80 onde FM era Fm de verdade e não uma emulação das ondas curtas onde esta repete a programação das AM's como está acontecendo com o FM agora lamentávelmente e que está fazendo com que o AM morra mais rapidamente.
       E também o fim de mais uma marca de sucesso do empresário Aloysio Faria, que assim como o Banco Real, também está chegando ao fim descaracterizado e completamente diferente de quando surgiu em que ambos eram fortes em suas áreas de atuação, se tornando marcas de referência no mercado brasileiro. Vale lembrar de que ambas as empresas se ajudaram mútuamente, no caso do Banco Real, uma de suas agencias da região da Tijuca e arredores serviu como depósito de equipamentos e de material fonográfico da Transamérica assim como a mesma promoveu diversas vezes sua empresa irmã em sua programação. Vale lembrar que a saudosa Alvorada RJ e sua irmã mineira são primas da Transamérica ( Elas pertencem á Clemente de Farya, irmão de Aloysio Faria) a ponto de sua base ser praticamente do lado da primeira.
     Quanto a Record News ela já começa fazendo o que sua irmã Record já faz: tirar os melhores profissionais das concorrentes. No começo deste mês, ela tirou o Heródoto Barbeiro da CBN e agora tenta tirar o seu sucessor Milton Jung de lá. Provavelmente deverá sondar a Band News e fazer o mesmo com profissionais como Ricardo Boechat, por exemplo. Se duvida, até Sidney Rezende não escapa dessa. Quanto a futura programação da Record News Fm vai ser uma grande incógnita. Que tipo de formato eles pretendem colocar no ar? Será que vão imitar a CBN como fazem com a Tv Globo? Vão colocar partidas esportivas? E locutores, será a até a voz padrão da CBN, Laerte Vieira irá para lá tambem? Pelo menos na parte técnica eles não deixam a desejar, embora os sinais da Record News Tv canal 52 UHF e da Rede Aleluia  FM 105,1 não seja dos melhores, mas em termos de manutenção eles não vacilam. E quanto a Radio Record RJ, o que eles pretendem fazer com ela e a que veio?E a Rede Aleluia que assim como a Transamérica está completamente perdida em seu seguimento a anos? O que farão com elas?
     Quanto a Record News FM desejo inovação e sorte e quanto as funcionários da ainda Transamerica que eles sejam aproveitados no novo projeto da Record- IURD. É a década de 80, última da melhores épocas da juventude mumdial e brasileira indo embora de vez, infelizmente! E só!

13 comentários:

thay disse...

Nossa que noticia triste, mais uma rádio FM sumindo. Espero que a Tribuna FM continue forte no dial. Boa sorte a Record.

Tiago Bandeira disse...

Menos uma, no entanto, teoricamente, mais um canal de jornalismo para profissionais do rádio.

MPierre disse...

Mais uma rádio pautada na música se vai.

OFF: essa Record cita é a segunda versão e houve 2 TV's Rio, segundo Neto, dono da comunidade "Mofo TV" do Orkut: essa primeira versão citada no texto entre 1955 a 1977 e a segunda versão entre 1988 a 1992 quando virou a segunda versão da Record onde, no Mendanha, ficava na maior parte das vezes fora do ar.

A primeira versão da Record era no Canal 9 (no Mendanha, 44 UHF e, posteriormente, 17 UHF) que virou TV Corcovafdo (1986/87 até 1992), Rede OM (1992/93), CNT (1993 até 2007), TV JB (2007) e CNT novamente.

blogblogado disse...

Porque os Bispos não usam uma das fms que tem,por exemplo a 104 e a 105 fm tem a mesma programação,era só colocar a Record News em uma delas.
Se bem que dinheiro não é problema para eles

Leonardo Ivo disse...

MPierre,
No que você disse, você está certísso, porém este meu erro é proposital. Por que falo assim? Porque a Tv Record que existiu entre 1982 e 1987 era uma afiliada da TV Record SP, tanto é que quando o Silvio vendeu sua parte nesta emissora, o canal 9 mudou de nome, se desfiliando da Record SP e virando Copacabana, Corcovado e CNT Rio, embora o nome Corcovado ainda seja o seu nome de razão social. No caso da TV Rio, sobretudo aquela de 1955-1977 esta eu chamo de primeira encarnação da Record ou simplesmente Record pelo fato de ter pertencido aos mesmos donos, ter tido a mesma plástica, logotipos e programação só mudando o nome, o resto era tudo igual e caminharam juntas por muito tempo, vindo a separarem cinco anos antes da TV Rio fechar.
No caso da TV Rio de 1988, esta era formada por parte da equipe da primeira como Walter Clarck, por exemplo e foi fundada praticamente na mesma época em que o canal 9 se desfiliava da Record. Neste último caso, óbviamente, não tem nada há ver, são somente conhecidências. Posso dizer que a Tv Record encarnou no Rio três vezes 1955, 1982 e 1993. Chamo a Tv Rio de Record por pura convenção pessoal baseada nos fatos históricos das três emissoras em que estas se inseriram, ou seja, em suas próprias histórias de uma maneira geral.
Leia esta matéria onde explico o porquê disso:http://fatosgerais.blogspot.com/2010/02/caracteristicas-comuns-entre-radio-e-tv.html

ABS!

Leonardo Ivo disse...

Blogblogado
Eu também concordo contigo. Até porque no caso da Rede Aleluia, eles tinham plano de extingui-la e colocar nela a Record News ou mesmo a Radio REcord em rede com programação gerada parcialmente no Rio. Isto era esperado pelo mercado desde o ano passado, pois a Rede Aleluia vem amargando prejuízo e perdas de afiliadas ha pelo menos três anos. Quanto a 104,5, eles querem manter como um remanscente da programação religiosa da IURD ja que eles praticamente tiraram a programaçã religiosa de suas midias só reservando a madrugada para isso. Realmente não dá muito para entender a cabeça dos bispos, pois pelo que fiquei sabendo eles não desistiram de adquirir a FM O Dia e criar nela a Rede Record de Radio nos mesmos moldes da Radio Globo, assim como existem boatos de que ela quer montar uma rede popular de ´radio utilizando a FM O Dia como cabeça. Em Sampa, eles ja haviam sondado a Radio Transcontinetal para este fim. No caso do Rio- capital onde eles tem uma FM propria ( em decadencia e perdida) e outra alugada não muito dá para entender bem isso. PAra que mais radios?

MPierre disse...

Aquilo: se a Globo come m..., a Rádio Record também come.

Não é possível apostar em rede de rádio (se for confirmado) sabendo-se que isso não dá certo e a Rádio Tupi (sem contar a Manchete) é a prova disso.

André Buda disse...

A programação da Oi FM, ao contrário do que foi dito no post, não é equivocada. Por ser uma rádio customizada, ela tem liberdade pra tocar tudo o que é interessante em termos de música (indie rock, as novas bandas de Recife, Massive Attack,entre outras coisas inteligentes e ecléticas), ao contrário da Rádio Cidade, que era alimentada por jabás e tinha PÉSSIMA programação no fim da vida.

Aki tem disse...

Por fim o monopolio noticiario auditivo chega ao fim teremos agora opcao de viva a democracia

Anônimo disse...

Até concordo que a Programação da Rede Aleluia sem um target definido mas daí dizer que esta perdendo "afiliadas" ...bem todas todas as rádios da rede são próprias, e tem mais rádios que qualquer outra rede de rádios.

Leonardo Ivo disse...

Ela de fato teve perdas de várias afiliadas no Brasil inteiro entre 2008 e 2010 em vários estados como Minas, Espirito Santo Mato Grosso do Sul e alguns estados da região Centro Oeste. De fato, as emissoras proprias continuam com ela, mas a maioria das afiliadas que tinha ela perdeu. Fonte: Tudo Radio e site especializados em rádio.

Markos disse...

Vale lembrar q a 104,5 do rio ja era pra eles tb.

Anônimo disse...

É amigos ouvintes. A IURD, está comprando tudo. Essa compra da transamérica FM do Rio, foi chute no saco. O Bispo, realmente está fazendo o que ele falou numa reunião há 30 anos atrás. Que iria acabar com a hegemonia da Globo e fazer do Brasil, o maior país evangélico da América do Sul. Está conseguindo.