domingo, 25 de outubro de 2009

Nucleo Piraquara, a Cachoeira do Barata














No dia 17/10/09, Sergio Cabral e Carlos Minc estiveram num lugar que faz parte da minha vida desde minha infância e que freqüentei muito. Trata-se do Núcleo Piraquara, mais conhecido como Cachoeira do Barata. Eles estiveram lá para inaugurar uma obra de revitalização do local que esteve parada durante quase dois anos e que foi iniciada no governo Rosinha Matheus. Como vocês verão nestas fotos, foram instalados deques, posto de salva vidas, vários tipos de brinquedos, etc. Fico muito feliz em ver um lugar onde vou desde minha infância recuperado. Agora, mesmo recuperado, ainda assim não tem mais a beleza que tinha antes. É claro que está bem melhor agora, pois tem posto dos bombeiros, policiamento e o lugar se encontra limpo, já que ali sempre foi um lugar onde adeptos de religiões de matriz africana faziam suas oferendas e, assim, ao mesmo tempo em que pareciam agradar suas divindades, acabavam desagradando aos freqüentadores do local e principalmente ao meio ambiente, pois o local ficava terrivelmente sujo. Com relação à segurança, sempre foi um lugar onde ocorriam casos de execuções, estupros e uso de drogas. Nos últimos anos, várias milícias tinham tomado aquela área de policiais mineiros e traficantes, mas felizmente elas também saíram de lá. Eu fui muitas vezes à cachoeira com meu falecido pai e com meu irmão, principalmente entre 1990 e 1994, e realmente era um lugar belíssimo. Onde hoje existe um loteamento irregular, havia um lindo bosque, no qual ficava a sede da fazenda dos Baratas, que deu nome ao sub-bairro. Atualmente, este prédio, do séc. XVIII está em ruínas. Perto dele havia restos de uma senzala que também foi destruída recentemente. Havia muito verde naquele local e o curso d'agua da cachoeira era bem mais forte do que é hoje. No ponto mais alto da cachoeira havia ainda uma piscina que foi misteriosamente destruída. Ainda existem lá as ruínas dos postos da Guarda Florestal, com prédios datando do ano de 1912. Com relação ao loteamento irregular, tenho amigos que moram lá. O terreno onde está o loteamento pertencia a uma empresa imobiliária chamada Bizon, mas depois se descobriu que o mesmo pertence à Marinha. Há alguns anos atrás, a Marinha quis remover os moradores daquele loteamento, mas não sei qual foi o resultado disso. É preocupante, porque os moradores não são invasores oportunistas, e sim pessoas que juntaram suas rendas de uma vida inteira para comprar um terreno e construir suas casas e que foram covardemente enganados por grileiros oportunistas. Tais moradores não poderiam ser removidos de qualquer jeito, mas sim devidamente indenizados ou realocados em terrenos próximos, pois os mesmos já tiveram o prejuízo de ser enganados e não poderiam passar por esta situação novamente. Então, nada mais justo do que indenizá-los em cima do que gastaram e realocá-los em locais com boa infra-estrutura e com a documentação em dia. De qualquer forma, fico muito feliz com as melhorias de um local que, embora não terá mais a beleza de outrora, poderá recuperar parte de sua beleza depois de décadas de abandono. Agradeço ao Jeremias Freitas pelas belas fotos tiradas do local no momento do evento. È só!

7 comentários:

BATMAN disse...

poxa! estive lá a um tempo atraz e achei tudo muito organizado e limpo. Agora o que tentei pesquizar e nao achei nada na internet é a origem do aquaduto que passa sob a cachoeira. vc tem alguma literatura que me explique a origem ? meu email jfda@bol.com.br

Leonardo Ivo disse...

Batman,
Aquele aqueduto foi construido na década de 60 no governo Carlos Lacerda para abastecimento da Zona Sul e Barra. Antes de sua existência a falta de água naquélas regiões eram constantes. Ele começa no Guandú, passa no Lameirão em Santíssimo, chega naquele aqueduto da Cachoiera do Barata, passando por cima da Estrada do Catonho até chegar se não me engano em Larangeiras seu destino final. Tem um blog sobre Realengo que conta sua história. Ele está na minha lista de blogs. Confira e acesse que ali consta até a histórias dos operários que trabalharam na construção dos aquedutos. ABS!

Anônimo disse...

Muito Legal!!! Mas kd as fotos das quedas de água? Vc não mostrou. Fica a dica!!!!

GIOVANI SILVA disse...

o loteamento está inserido no projeto " MORAR LEGAL", em vias de regularização. PORTANTO, LOGO LOGO TEREMOS A DOCUMENTAÇÃO EM DIA.

Luiz Fortes/RJ disse...

Valeu pela indicação do blog..obrigado. E postei um video no com depoimentos de moradores falando do espaço.

Gerson disse...

Não entendo o motivo do nomear como Piraquara, se a entrada do parque fica do outro lado do bairro.Piraquara é sub bairro de realengo, e a entrada fica em outro sub bairro que é o Barata.Então deveria receber esse nome.Ora!

Anônimo disse...

Pois piraquara seria um lugar mais nobre