segunda-feira, 21 de setembro de 2009

Sobre a Caminhada da Intolerância Religiosa de 2009




Ontem (20/09) houve a 2º Caminhada da Intolerância Religiosa em Copacabana com o dobro do numero de participantes do ano passado. Infelizmente eu não pude está lá ontem, pois tive de resolver problemas particulares e por conta disso não pude fazer a cobertura do evento como fiz ano passado. O evento de ontem foi tão bem sucedido quanto do ano passado e além de ter todas as religiões representadas, excetos as igrejas comerciais(neo-pentecostais), teve a participação do cantor evangélico Regis Danese cantando cantigas em iorubá. Foi um sucesso só. La foi lembrado o crime cometido pelos lideres da igreja evangélica pentecostal fundamentalista Geração Jesus Cristo, onde os barbaros desta igrejola destruiram as imagens de um terreiro no Catete em 2007 e que no ano passado fizera divulgação na internet de intolerância religiosa. Vale frisar que todos estes barbaros estão presos, felizmente. Nesta caminhada Islamicos também estiveram lá e reclamaram que mulheres seguidoras destas religião passam sufoco nos aeroportos, pois são obrigadas a tirarem o veu e a prestarem varios esclarecimentos a policia federal, coisa que não acontece com as mulheres de outras religiões. Ja os católicos reclamam que também são alvo de intolerância, o que de fato o são, vide que no ano retrasado uma igreja no Rio Grande do Sul tivera suas imagens sacras do seculo XVII destruidas por fanaticos pentecostais e que aqui no Rio muitos catolicos em comunidades carentes são descriminados por seguidores de igrejas evangélicas e tachados de idolatras.
A grande questão é que tais igrejas comerciais além de extorquirem dinheiro de uma população que não tem saude, educação e lazer, eles combatem todos aqueles que são contra sua doutrina de manipulação e sucção e os transforma como seguidores do suposto Diabo. Elas se proliferam se aproveitando da miséria popular e as tiram o pouco que ainda lhe restam e lhe dão em troca uma falsa esperança de vida e mais miséria. Vale lembrar que tais religiões cresceram na decada de 70 no reboque da ditadura militar, pois a igreja católica mudou de lado com o Concilio Vaticano II, que ocorrera dois anos depois do golpe militar de 64, o que fez a mesma dar uma guinada a esquerda e o medo de que supostos guerilheiros comunistas arregimentasse gentas das favelas e locais pobres para luta armada, ja que alguns destes movimentos tiveram contatos com estas populações, seja nas proprias favelas ou mesmo nos presidios. O maior exemplo disso é o Comando Vermelho que inicialmente surgiu com um proposito politico de arregimentar pobres para luta armada, através de contato de guerrilheiros e presos politicos com presos comuns nas cadeias e que com o passar do tempo e com redemocratização acabou virando uma facção criminosa de crimes comuns e de tráfico de drogas. Visto que não podia mais contar com a Igreja, a Ditadura e a CIA financiaram a expansão das igrejas evangélicas, em particular as pentecostais em favelas e lugares distantes deste pais. Tais igrejas estão presentes aqui no Brasil desde o inicio do seculo XX, porém eram restritas e incipientes e nas favelas o que predominava eram os terreiro e as capelinhas de paroquias próximas a estas favelas. Tal situação durou até o inicio da decada de 70 onde tais igrejas passaram por uma ampla expansão que não foi só com o dinheiro de campanha de missões arrecadado dos fieis, mas de finaciamentos das ditaduras militares e da CIA. O que contribuiu também para expansão de tais igreja também a acomodação da Igreja que achava que nunca ia perder fieis para qualquer religião e que era absoluta no Brasil, tido como o maior pais católico do mundo e pelo fato de que as religiões de matriz africana eram consideradas bruxaria. Por conta disso tais religiões acabaram perdendo terreno para as pentecostais e as de matriz africana cada vez marginalizadas.
Quero deixar claro que não tenho precoceito com seguidores desta corrente e muito menos com evangélicos, pois os verdadeiros evangélicos são contra o fanatismo e ainda por cima participaram da caminhada religiosa mostrando que também são vitimas da intolerancia, ja que estão sendo discriminados também sendo tachados de otário, preconceituosos e ignorantes graças as igrejas comerciais que mancharam a religião evangélica no Brasil de forma altamente lesiva e de dificil cicatrização, ja que a pecha de religião de massa de manobra se fixou nela e injustamente correntes como batista, presbiteriana, luterana, congrgacional e outras acabaram tendo suas reputações manchadas, não por elas, mas pelas igrejas pentecostais e pelas igrejas comerciais que mancharam a religião protestante de forma bastante contundente e que vai levar anos para mudar tal quadro. È só!

3 comentários:

luiz brasileiro disse...

Leonardo Ivo gostei de seu texto e dos valores defendidos, mas gostsria de fazer uma observação sobre a seguinte afirmativa: "(...) o Comando Vermelho que inicialmente surgiu com um proposito politico de arregimentar pobres para luta armada, através de contato de guerrilheiros e presos politicos com presos comuns nas cadeias e que com o passar do tempo e com redemocratização acabou virando uma facção criminosa de crimes comuns e de tráfico de drogas."

Leonardo, esta é a versão divulgada pela direita, pois se você ler as memórias de quem cumpriu pena como guerrilheiro, ad exemplum, ALÍPIO DE FREITAS,no livro RESISTIR É PRECISO, verá que a relação entre presos políticos e presos comuns era tensa e conflituosa a ponto de serem separados em pavilhões diferentes.

Os presos políticos temiam, e com fundamentadas razões que os presos, a escória, fosse instrumentalizada pela ditadura para um ataque ou inserção de drogas entre pertences dos presos políticos.

Contatos ocorreram e era impóssível nas circunstãncias não ocorer, mas o que prevaleceu foi a separação, a desconfiança, a ponto de serem separados fisicamente.

A direita imbuida em caluniar e difamar a esquerda heróica, aquela que tentou enfrentar a ditadura em seu campo, terçando armas, divulga que o crime organizado dos porbres é resultado da ação da esquerda quando conviveu com os presos comuns também enquadrados na lei de segurança nacional.

Não dê crédito a esta versão da direita, pois é falsa; colide com o depoimento de todos quantos estiveram presos por razões políticas, para confirmar o que lhe afirmo pode inclusive consultar também FERNANDO GABEIRA no livro "O QUE É ISSO COMPANHEIRO?"

Leonardo Ivo disse...

Luis,
Gostei muito do seu esclarecimento aqui feito no blog, até porque a informação posta relacionada ao CV aqui vem de fato de textos oficiais. Gostaria de poder postar isso que voce escreveu. Caso me permita ficarei agradecido. Utilizei este texto tambem inicialmete para mostrar as diversas formas que a CIA e as ditaduras militares utilizaram para despolitizar a população e afastar e ate eliminar inimigos politicos e a Igreja catolica acabou virando parcialmente tambem um inimigo destas ditaduras e da CIA. E isso aconteceu em parte pelo Concilio Vaticano Segundo e tambem pela Teologia da Libertaçao, que unia conceitos cristãos com ideias marxistas. Tal ideologia nao fora criada por ela ,razao pelo qual ela expulsou os idealizadores desta doutrina, entre eles Leonardo Boff. E e por conta destasu duas coisas que a CIA e as ditaduras financiam as igrejas pentecostasi no Brasil. Obrigado pela contribuiçao. Abraços!

luiz brasileiro disse...

Leonardo,
você está autorizadao a postar meu comentário em seu blog, mas lhe peço que faça a edição corrigindo erros de concordância ou ortografia, que sempre escapam, como você já deve ter percebido.

No também excelente livro A REBELIÃO DOS MARINHEIROS, de Avelino Bioen Capitani, mais especificamente no capítulo A PRISÃO você encontrará a narrativa de fatos que confirmam a relação tensa e às vezes conflituosa entre presos políticos e presos comuns.

O que se constata é que os presos políticos tinham objetivos políticos voltados para a derrubada da ditadura e uma conduta que se pautava na solidariedade, busca da garantia dos direitos do cidadão preso, sem cometer a exploração de outros presos e sem incorrer na prática dos crimes comuns que os diretores de presídios, carcereiros e quadrilhas formadas dentros dos presídios sempre cometeram e cometem.

Um forte abraço.

LUIZ BRASILEIRO