segunda-feira, 28 de setembro de 2009

O Panorama geral das empresas de ônibus da Zona Oeste.


Como busólogo que sou não posso deixar de comentar sobre este fato que está acontecendo com a Ocidental. O que está acontecendo com a Ocidental além de ser muito triste é ate previsivel. Isso porque além dos problemas conhecidos como pessima manutenção dos carro, que acabou causando este ultimo acidente, ela tem uma péssima adminstração.





Esta administração que está ai foi a mesma que fez falir uma das empresas de mais tradicionais e antigas do Rio: a Transportes Mosa. Esta empresa operava, linhas como a 920, hoje pertencente a Erig e que agora opera uma linha que pertenceu a primeira, foi para Ocidental e agora está com ela também: a 345. Nos ultimos anos dela, a Mosa também andava com carros velhos e mau conservados até falir de forma fraudulenta e inesplicavel no final de 2002 a ponto de ex-funcionarios da mesma irem num extinto programa de tv da TVE (hoje Tv Brasil) reclamarem dos seus direitos. Este programa se chamava "Pensando em Você" e era apresentado por Luis Carlos Cataldi. Estes ex-funcionarios não estavam com salarios atrasados desde o inicio de 2002 e no ano seguinte foram ao programa reclamar disso e reclamar seus direitos trabalhistas no programa.


Com a Santa Sofia está acontecendo a mesma coisa. Só que para não acabar, ela foi vendida para a Ocidental, ficou só com uma linha, a s11 e ainda foi arrolada no processo de falência da Mosa como reclamada da massa falida da ultima, numa jogada completamente inesplicavel. Ela por incrivel que pareça ainda opera, da mesma forma que a Ocidental, de forma extremamente precaria e sem renovar frota ha dez anos! Até carro de treinamento ela ja colocou fazendo linha. Isso foi em 2002 no dia da eleição de 2º turno de Lula.



E muito triste ver a situação destas três empresas que no passado deram muito orgulho a nós busologos e aos cariocas, pois as mesmas só andavam com carros novos e de melhor qualidade. Tanto a Sofia quanto a Ocidental andanvam até Scanias e Volvos, esta ultima foi a pioneira em colocar tv para os passageiros em onibus com chassis Scania e carroceria Busscar. Ja a Mosa não andava com Volvos e Scanias, mas tinham onibus novos e com excelente estado de conservação, sendo eles com chassis Mercedes ou Volkswagem. Ja a Sofia colocava os melhores carros na 786 e na s11, em geral os carros novos comprados recentemente e vindos de fábrica e mantinham em excelente estado de conservação os carros que faziam as linhas de Campo Grande e Santa Cruz. Até empresa de fretamento e turismo ela tinha, era a Faça Turismo. A Garagem dela não tinha muros e sim grades, tamanho era o orgulho que seus donos e funcionários tinham pela empresa. Devido ao seu tamanho, ela chegou a comprar um terreno no final da Avenida Brasil com esquina com a Avenida João XXIII em Santa Cruz ( onde a Avenida Brasil, de fato e oficialmente termina e não na Rio -Santos como pensam), porém com a crise que assolou a Santa Sofia, esta garagem jamais foi construida e no lugar das grades foram colocados muros altos e feios, mostrando bem a sua crise por onde passa até hoje. Até semana passada esta garagem estava desativada, pois os onibus dela estavam sendo guardados na garagem da Ocidental. Só que com a lacaração da mesma pela justiça, tal garagem voltou a ser utilizada. Esta mesma garagem estava sendo utilizada pela Breda, onde ela guarada seus onibus urbanos, de fretamento e do grupo como os da Andorinha, Algarve, Mangaratiba e Oeste. Agora com a lacração da garagem Ocidental pela justiça, a Santo Sofia voltou a utiliza-la novamente.
A situação da Ocidental é triste também porque ela quando começou, ela começou com Scanias e com carros de excelente qualidade de manutenção e conservação. Um exemplo disso é a linha 397 que andava com onibus chassis Scania 113 e a 689 que além de usar aqueles chassis malfadados Scania k124, tinha televisão dentro. Era uma empresa de primeira quando começou e começou na ja decadente Oriental. Era completamente diferente desta ultima. De 2000 para cá quando esta adminstração assumiu é que sua desgraça começou. Nesse meio tempo, por volta de 2004 e 2005 ela compra a Santa Sofia que nesta época ja estava em grave crise por conta de briga de herdeiros. E apos a compra vende parte das linhas para a Pegaso e assume o restante das linhas, deixando a com Santa Sofia apenas a s11 e desativando sua garagem. Vale lembrar que a ultima renovação de frota da Ocidental foi em 2007 quando iniciou a operação na 786.
Depois disso só se agravou. Quando chegou a administração Paes parte de suas linhas foi divida com a Bangu e Campo Grande, até que chegamos a semana passada onde suasl inhas foram repartidas entre a Andorinha (outra que corre o mesmo risco da Ocidental), Jabour, Campo Grande e a Bangu.




Enquanto isso a Oriental segue vivendo e se recuperando foi comprada recente por uma empresa chamada Transportes Santa Isabel (o mesmo nome da empresa de São Gonçalo que ela acabou de falir) e está inicialmente acertando todas as suas dividas. Logo estará renovando a frota e quem sabe retomando linhas que teve de cedar a Bangu e a Campo Grande. Havia especulações entre os funcionários da mesma de que até o final deste ano a Oriental acabaria e felizmente por irônia do destino isso não aconteceu.
Voltando ao assunto Ocidental, seu proprietário, Sr. Anselmo é um cara polêmico. Há uns anos atras, ameaçou com uma pistola no condominio Golden Green o jogador Ronaldo, por conta de desavenças entre eles no prédio onde moram. Ele como disse aqui no começo, é dono da Amigos Unidos e da finada Mosa. Administra mau e porcamente suas empresas, visto como é a frota das empresas que controla. Dizem funcionarios próximos dele que a situação da Ocidental nã foi culpa dele sózinho e sim de um sobrinho que roubou ele e deixou a empresa nesta situação, ou seja, no limbo. Embora eu ache discutivel, pois depois do que acontceu com a Mosa e com a Santa Sofia fica dificil acreditar que tenha sido parentes dele, uma vez que sua conduta como cidadão deixa a desejar.




Em relação a Bangu, sua recuperação foi surpreendente. Quando estava na mão do grupo Guanabara (Jacob Barata), a mesma parecia que ia acabar, tamanha era crise em que viva. A maior parte das linhas estava desativada e até meados de 2007, a 794 nem com micrão rodava, era com microônibus mesmo e de forma rarefeita. E no caso da 383, a adminstração da linha nem na mão da Bangu estava mais, estava na mão da Transportes Estrela, ou seja parecia que ia acabar. Para se ter uma idéia, no começo do ano passado, a Andorinha queria assumir a 741 e a 743, pois a Bangu estava em situação periclitante. Mais como nada estava perdido e só não existe salvação para morte, eis que o grupo Guanabara vende a empresa um empresário novato no ramo e que é do setor de transporte de bebidas e de uma rede de concessionarias Volkswagem, a Nacional Veiculos. Apartir dai, sua situação muda da água para o vinho. Começou reativando a 743 e a 741, no final do ano passado reativou todas as suas linhas. No começo deste ano ela assume a 394, s07 e 816 que eram da Oriental, logo em seguida assume a 389 ( que era da Ocidental) e com a incapacidade inicial da Campo Grande em gerir as linhas 379 e 395, tais linhas são repassadas para a Bangu também. Ela também tentou reativar a 715, mas devido ao numero baixo de passageiros e pelas novas linhas que pegou, preferiu desativa-la momentaneamente para que quando se aliviar poder reativa-la com novo trajeto. Agora o que mais preoucupa o pessoal da comunidade da Bangu no Orkut e os busólogos é com relação a capacidade operacional da empresa, pois a mesma assumiu varias linhas e agora acabou de assumir parcialmente a 397 e assumiu mais três linhas da Ocidental: 811,812 e 819. Quando ela assumiu as linhas que citei anteriomente, a Bangu provocou um desfalque inicial em linhas como a 794, 383 e 725, porém com a chegada de novos carros e a reforma de micros e micrões, tal desfalque fôra minizado. Agora com mais 4 linhas desfalque poderá ser inevitável, embora chegue até o final do mes que vem mais 70 ônibus novos. Os busologos e amigos da empresa temem que aconteça o mesmo que aconteceu com a Ocidental que ao assumir linhas da Santa Sofia começou a gerar desfalque me suas próprias linhas e dai começar a entrar em crise. Só que a situação da Ocidental é diferenta da Bangu, pois a mesma ja estava mal das pernas quando assumiu tal respensabilidade, coisa que não está acontecendo com a Bangu que laém de está em seu melhor momento em quase 50 anos de vida, se tornou uma empresa superavitária, colocando em cheque velhos preceitos capitalistas, onde se deve buscar o lucro e que no caso da Bangu o mesmo não estava sendo posto em prática por alguem que é nada mais nada menos que o segundo maior frotista do Brasil, ficando atras de Nenê Constântino. E tem mais, a atual adminstração da Bangu é extremamente profissional e não ia se enfiar em encrenca de forma nenhuma, ainda mais agora que mal acabou de se recuperar. Acredito que seu maior desafio agora sejam dois: ter mais motoristas e comprar uma nova garagem. Isso porque a sua garagem ja não comporta mais ônibus, ou seja, fica ônibus do lado de fora, como era antes da criação da Andorinha. O outro desafio é contratar mais motoristas, pois não adianta comprar 70 carros e não ter o mesmo numero de profissionais para dirigir tais veiculos ,embora a mesma tenha contratado varios antes da chegada de tais ônibus.



Ja Andorinha vive um momento crítico. Segundo fontes, a Breda saiu da sociedade no inicio deste ano e desde o começo do ano passado ela não renova frota. Em maio deste ano, os funcionários da mesma entraram em greve por melhores condições de trabalho, ja que a mesma não estava fazendo a manutenção dos carros direito. Esta empresa assumiu a 784 e parte da 689 com a Campo Grande, linhas estas da Ocidental e assumiu a 820 e 684 da Oriental. Diante de tudo isso ela não fez qualquer renovação de frota. Nesta ultima quinta feita, ela foi excluida do pool da 397, pois a prefeitura flagou ela rodando com veiculos em péssimo estado de conservação e por conta disso foi excluida do pool. Esta empresa, na minha opinião se enquadra direitinho no medo que os busólogos e admiradores da Bangu temem: o de quebrar. Pois a situação dela é muito mais critica que a da Bangu e a mesma assumiu linhas sem ter carros o suficiente para assumir e em mau estado de conservação, coisa que não acontece com a Bangu que tem uma excelente adminstração e vive seu melhor momento. Tal situação não está só acontecendo apenas na Andorinha, mais em todo grupo Breda. Até a Breda não está fazendo renovação direito. Comprou poucos carros no ano passado e mesmo assim só para 484 e 497. O mesmo ocorre com a Oeste e a Mangaratiba. A crise está no grupo em si, se é que a Andorinha ainda faça parte dele ainda.



E finalizando este assunto, vou falar sobre a Campo Grande. Esta empresa assumiu recentemente a 367 da Feital, empresa esta ainda operando a 756 e que ja virou massa falida, conforme foi divulgado aqui. Estive conversando com motoristas da Campo Grande e estes me relataram que a mesma adquiriu da Feital, as linhas 875 e 856, mas que ainda não tem previsão de reativa-las no momento. Tal informação só vou confirmar quando acontecer, isso porque rodoviarios são reis em divulgar boatos, portanto só vamos acreditar vendo, mas esta dada a noticia. Ela também assumiu linhas da Ocidental como a 396, 397( com a Amigos Unidos e a Bangu) e a 689 (com a Andorinha). Parte dos ônibus novos dela para quem não sabe foi comprada através de leasing do banco Safra, ja os usados ela os adquiriu da Lourdes. E uma empresa de médio porte e com uma garagem muito pequena, mas de fibra e garra. Os rodoviarios reclamam dela pois a manutenção é ruim e não pagam horas extras direito, mas acredito que isso seja uma situação transitória, visto que a mesma segue renovando frota e conseguindo assumir linhas. E uma empresa que só assume quando pode. Ela não coloca os pés pelas mãos. Quando não pôde manter 379 e a 395 preferiu repassa-las a Bangu do que se prejudicar e agora assumiu a 367 numa boa, pois tinha carros sobrando para assumir. Diante disso vejo que a adminstração dela não é tão ruim justamente por saber até onde pode assumir responsabilidades. Por isso a parabenizo.
Esse é o panorama atual do transporte da verdadeira Zona Oeste, ou se preferir Sertão Carioca, como chamavam a região antigamente. Houve várias melhorias e algumas perdas como o possivel fim da Ocidental que poderá ser evitado se o sindicato dos rodoviarios aprovar a vistoria da frota hoje(28/09), caso isso não ocorra ela caminhá para falência como a Mosa. Vale lembrar que tal bloqueio da garagem não se deu somente por conta dos acidentes e do péssimo estado da frota e sim porque a mesma deve altas somas de dinheiro ao fisco federal, estadual e municipal, além de dívidas trabalhistas e é por conta disso que ela chegou onde chegou, coisa que não chegou a acontecer com a Oriental, por exemplo. Tirando este lamentável fato, tudo trasncorre muito bem. E a Pegaso lançou uma linha de integração com frescão para o metrô de Coelho Neto, ao custo de R$4,40. Esta é outra empresa que se enquadra na situação da Campo Grande: só assume o que pode. Até porque ja tem linha demais, mais ainda sim assumiu a s27 e só! A prefeitura e o estado seguem combatendo as vans e kombis piratas e a prefeitura deve licitar o transporte alternativo em breve, onde empresas de ônibus poderão concorrer e só poderão utilizar microônibus ou mini-ônibus do tipo Volare. Autonômos não poderão concorrer. Houve uma drastica redução deste meio de transporte na Zona Oeste por conta destas iniciativas, juntamente com o combate as milicias que controlam este meio de transporte. Por hoje é só.

Um comentário:

Alex disse...

Poxa estava procurando um texto desses na internet que resume em si o atual panorama do transportes na zona oeste, vc só esqueceu alguns fatos novos, como por exemplo a Bangu aumentou a frota em aproximadamente 35 carros renovou mais de 70 % e a Campo Grande não tem tanto carro assim, pois a 393, uma linha que tinha que ter cuidado melhor, pois se vc presta atenção é a única linha que liga aquela região de Bangu ao Centro e lá estão rodando micrões que é uma covardia danada, então a Campo Grande está revovando sua frota eu ainda não vi nenhum aumento de frota igual ao da Jabour e da Pegaso e falando em Pegaso se vc prestar atenção os carros dela principalmente os Tarifas estão em péssimo estado de conservação eu dirijo Van fazendo o trajeto Padre Miguel x Campo Grande e sou viciado em Onibus procuro estra por dentro de tudo que acontece, a Bangu reativou as linhas 810 e 812 só que a 810 ela mudou o intinerario anteriormente ela vinha de bangu do pam e ia até a praça do taquaral ponto final do 926, agora ela vai pela est. do Engenho, Taquaral até a praça do Coqueiro e para a alegria do povo que mora na Carobinha ela reativou a 812 se vc passar por bangu la pelas 17:00 hrs vc vai ver atras do Guanabara a fila de pessoas esperando as kombis que fazem ese trajeto, eu dirijo van mas torço para a Bangu colocar mais carros nas linhas 811, 812, 819 e reativar a 813 e conseguir suprir a falta de carros nas outras linhas que já eram dela, pois como ela espalhou os carros por diversas linhas a de confir que tem linha precisando de carro, eu sempre digo que para vc administrar um negocio vc deve gostar daquilo e o que vc ve nas empresas hj em dia são herdeiros de fundadores das empresas que só sugam e acabam com as mesmas o único que eu conheço que herdou e continuou de forma brilhante a administração da empresa foi o Filho do Jorge Alves Lavoura o Sérgio Lavoura que vem a ser dono da Flores a melhor empresa que eu conheço de transporte urbano. A Oriental que vc citou é do mesmo dono da santa isabel que inclusive também faliu a Oriental comprou carros da PaAvunense e da Flores que estaam em otimo estado de conservação apesar de serem usados, outros tambem que ela poderia usar era os da Jabour que tambem troca de carro de 2 em 2 anos, mas enfime é isso vamos esperar e ver o que acontece, torcendo para que a Bangu receba logo seus novos carros e a Campo grande reflita melhor sobre sua frota.