terça-feira, 18 de janeiro de 2011

Odebretch comprou supervia e quer montar no Rio uma holding de transportes urbanos

 








       Conforme foi divulgado na coluna Radar, jornalista Lauro Jardim da Veja no dia 8 de janeiro de 2011, a empreiteira Noberto Odebretch comprou a Supervia. Agora ela pretende comprar o Metrô do Rio e fundir as operações de ambos. Porém ela quer mais, também pretende comprar empresas de ônibus na capital que não será apenas uma, mas várias. Após isso, ela pretende fundir as operações dos tres modais.
     Se ela fizer isso vai ser um grande feito, pois será a primeira vez na história do pais que uma empresa funde três empresas de modais diferentes e promove a convergencia de ambas. Isso será bom para população que chegará rápido nos seus compromisso e gastando pouco, bom para o empregador no que se refere a vale transporte e bom para a cidade, pois será menos carros nas ruas.
     Sei que sonhar não custa nada, mas só fato de comprar a Supervia já é um passo importante, pois sua situação poderá melhorar ja que a mesma era muito mal adminstrada. Caso ela compre o Metrô isso vai ser um grande avanço, pois o sistema está pronto para ser unificado bastando apenas investir nos sistemas de captação de energia elétrica ao colocar o terceiro trilho nas linhas da supervia e captadores nos mesmo nos trens da mesma. O mesmo se faria no metrô ao instalar pantógrafo e redutor de tensão ja que o metrô funciona com 750v e a rede aérea da Supervia é de 3000v. O mesmo teria que fazer nos trens da Supervia ao se instalar motor  de 750v de alimentação nos truques sem motor dos trens que em geral ficam nos carros não motorizados, em geral estes carros ficam no centro dos trens. Feito isso, o resto será facil. E depois fazer linhas de integração com os ônibus das suas futuras empresas através de terminais e de bilhetes integrados. Tomara que tudo isso aconteça de verdade. E só!

3 comentários:

Marcelo Pereira disse...

Há o lado bom da integração dos serviços. Mas há o lado ruim do oligopólio. Odebrecht é ótima em construção de prédios e estruturas, mas o transporte não é o seu ramo. Será que ela vai oferecer qualidade em seus serviços?

MPierre disse...

Não sei, não: um dos motivos de eu ser defensor ferrenho da centena 500 nos ônibus municipais é a questão da concorrência e é exatamente isso que pode estar com os dias contados.

Leonardo Ivo disse...

Da maneira como é feita em Curitiba, São Paulo e BH realmente é ruim, mas se esta empreiteira tiver mesmo a visão de fundir os três serviços num só isso poderá ser muito bom. Porém, como vivemos no Brasil e as empresas aqui fazem o que querem no final pode ser até pior e acabar tendo o desfecho que o Marcelo Pierre citou. Ai realmente será terrivel. Tudo depende de como ficarão as coisas. De qualquer forma defendo as ideias do Alexande e dos Marcelos, embora seja a favor da convergencia de transportes desde que governos não utilizem os mesmos para se promover, sobre tudo em pinturas padronizadas. Ai não dá!